Tabagismo cresce na pandemia e gera aumento de câncer de pulmão



Fumantes declaram ter aumentado em até vinte o número de cigarros diários durante a pandemia. O isolamento social, medida adotada pelas autoridades para frear o contágio do novo coronavírus, mexeu com o psicológico de muitas pessoas ao redor do mundo. Só no Brasil, segundo levantamento da Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ durante o período de isolamento social os casos de ansiedade aumentaram em 80%, o consumo de café de 30%, além disso, a prática de ficar em casa interruptamente tem gerado outros comportamentos na população, como o aumento do tabagismo.

De acordo com os estudos da Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz - 34% dos que se declararam fumantes, passaram a consumir mais cigarros ao dia durante o isolamento social; 22,8% aumentaram em 10 cigarros; 6,4% aumentaram em até cinco cigarros e 5% em 20 cigarros ou mais ao dia. Com o distanciamento as pessoas ficaram mais apreensivas e inseguras em relação ao emprego, a possibilidade de contrair a doença, preocupadas com a manutenção da renda e com a saúde. Toda essa ansiedade acumulada foi descontada não só no cigarro, mas também na bebida alcoólica, o que é uma combinação explosiva, visto que o consumo de álcool favorece o de cigarro.

Segundo uma matéria divulgada no site Todos Juntos contra o Câncer, Lucca Santos, designer, 23 anos, fumava em média um maço de cigarros, ou seja, vinte cigarros ao dia. Com a pandemia esse número saltou para quase três maços ao dia. Isso porque antes ele tinha rotina de trabalhar em um ambiente fechado, cumprindo horários, tinha mais dificuldade de sair para o “fumódromo”. Com o trabalho remoto, adquiriu o hábito de fumar durante o trabalho, com o cinzeiro ao lado do computador. Nessa entrevista vários outros fumantes foram questionados sobre os fatores que atribuíram o aumento do consumo e eles invariavelmente atrelam o fumo a ansiedade.

No entanto, a luta contra o tabagismo não pode ser abandonada, sobre o risco de termos não apenas uma onda de tumores malignos, entre eles o câncer de pulmão, que tem íntima relação com este hábito nada saudável, além de outras doenças respiratórias. Ainda segundo um levantamento realizado pelo Instituto Nacional do Câncer - INCA - mais de 30 mil pessoas podem ter sido diagnosticadas com problemas no pulmão em 2020: 85% nestes casos estão ligados ao tabagismo. Além de ser fator de risco para o câncer e várias outras doenças, o tabagismo é certamente um dos hábitos que contribui para as formas mais graves de infecção por coronavírus. O prognóstico de pessoas fumantes não é nada positivo, normalmente tem sintomas de tosse, rouquidão, falta de ar e até pneumonias recorrentes, o que somadas a infecção por covid-19 leva a uma piora no quadro geral do paciente e sua consequente recuperação.

E você?! Como está na pandemia? Tem gerado um estresse desnecessário entre o prazer de fumar pensando que relaxa ao mesmo tempo que se culpa por estar fumando? Se você decidiu deixar esse estresse e parar com o cigarro, fale com a Action Laser que trabalha há 30 anos com uma técnica canadense 100% natural e indolor de laser acupuntura. Através do laser e pontos de acupuntura são equilibrados pontos psicossomáticos e metabolizadores e bloqueamos a compulsão pelo cigarro. A dependência emocional durante aplicação utilizamos recursos de psicologia positiva, neurolinguística e exercícios respiratórios para ressignificar o hábito e o condicionamento e devolver o pedestal que lhe é de direito. Fale com os profissionais da Action Laser

através do whatsapp (41) 99917-8990

ou pelo telefone fixo (41) 3232-4982

email: curitiba@actionlaser.com.br

www.facebook.com/ActionLaserCTBA

Posts em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square