Cigarro aumenta o risco para covid-19


A fumaça do cigarro é um coquetel altamente tóxico. São quase sete mil substâncias tóxicas e cancerígenas que o fumante exala todos os dias, o dia inteiro. Isso vai enfraquecendo o sistema imunológico do fumante e com essa deficiência, o risco é bem maior de contrair infecções bacterianas, inclusive a tuberculose e vírus como o Coronavírus. Segundo as pesquisas recentes, a Covid, doença causada por esse vírus, evolui com uma série de alterações graves, entre as quais, a hipóxia. Isto é, a ausência de oxigênio no sangue ocasiona lesões nas partes internas dos vasos sanguíneos e isso gera uma resposta imunológica com uma reação inflamatória gigantesca chamada de tempestade de citocinas e formação de trombos no organismo generalizada de forma aguda, rápida que leva o fumante a falência múltipla de órgãos e ao óbito.

Ao analisar o que essas substâncias tóxicas compostas pelo cigarro causam no corpo do fumante verificou-se que é a mesma coisa que o vírus provoca, só que a evolução na pessoa que fuma é mais crônica, mais lenta, então quando o fumante entra em contato com a doença, ele já tem todos aqueles problemas agravados anteriormente, mas já entra em desvantagem nesse processo evolutivo porque já tem um terreno favorável para isso. O vírus, para se acoplar na célula, ele precisa de um receptor conhecido como enzima conversora que aparece normalmente no corpo humano. O vírus entra através dessa enzima mais vulnerável à invasão do vírus. O que acontece com um fumante é que as substâncias tóxicas do cigarro aumentam a expressão dessa enzima na camada externa da membrana celular dos fumantes, aí o fumante ficará mais exposto para o vírus do que uma pessoa que não fuma. Essas descobertas foram recentes. Isso explica também porque o fumante é mais vulnerável a infecção e por que quando infectado ele é vulnerável às infecções.

Ao parar de fumar os receptores tem de diminuir e aparecer de forma normal. A hipóxia que no fumante é causada pelo monóxido de carbono que é inalada da fumaça, em 8 horas sem fumar desaparece. As lesões que o fumante tem na parte interna dos vasos bem como processo inflamatório desaparecem em 24 horas, a tendência de formação de broncos desaparece em 12 semanas. Ao longo do tempo diminui o risco de infarto, acidente vascular cerebral, AVC, trombose venosa profunda e tudo que está relacionado com o aumento de trombos na circulação ameniza. Parar de fumar é vantajoso no curto prazo e até como proteção da Covid-19.

É muito importante que as pessoas saibam desse risco e que deixando de fumar diminui muito o risco dessas complicações de infecções causadas pelo vírus. Devido à recuperação dessas alterações podemos afirmar que o fumante ou ex-fumante não está no mesmo risco que o fumante a não ser que ele já tenha a outras doenças como o enfisema pulmonar, etc. Nesse caso ele correrá o risco de se infectar devido ao enfisema. O mesmo ocorrerá se ele tiver problemas de hipertensão, diabetes.. se a pessoa deixar de fumar, ela evita todo esse processo inflamatório, então o que a Covid-19 pode ocasionar não será tão intenso como em um fumante. Fale com os profissionais da Action Laser através do whatsapp (41) 99917-8990 ou pelo telefone fixo (41) 3232-4982 email: curitiba@actionlaser.com.br www.facebook.com/ActionLaserCTBA



Posts em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square